Revista Biociências https://periodicos.unitau.br/biociencias <p>A Revista Biociências é uma publicação semestral do Instituto Básico de Biociências da Universidade de Taubaté totalmente comprometida com o <em>open access</em>, e, portanto, providenciamos acesso gratuito aos artigos tão logo o processo editorial seja finalizado. Nossa missão é ampliar a disseminação de artigos originais e revisões das diversas áreas da Biociências, tão importantes para a formação de opiniões, fomento do debate e de atividades nos diferentes campos da pesquisa biológica. A revista publica artigos científicos completos, notas científicas e revisões nas diferentes áreas das Biociências, como as ciências naturais e da saúde, incluindo o desenvolvimento do esporte e de procedimentos e protocolos de educação em Biociências.</p> pt-BR revbiounitau@gmail.com (Revista Biociências) suporte-unitau@surta.com.br (Agência Surta) Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 OJS 3.3.0.17 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Ocorrência de dengue no município de Amarante do Maranhão - MA, Brasil, entre 2014 e 2020 https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3639 <p>A dengue é um problema de saúde pública no Brasil e é a arbovirose mais prevalente no mundo. Sua ocorrência no município de Amarante do Maranhão (MA) tem sido pouco investigada, mas há registros que indicavam elevada presença do mosquito transmissor&nbsp;<em>Aedes aegypt&nbsp;</em>nas residências dos munícipes. O objetivo deste trabalho foi investigar as ocorrências quanto ao número de casos, faixa etária dos que contraíram, sorotipos circulantes dos vírus e hospitalizações por causa da dengue, no período entre 2014 e 2020. Os dados foram obtidos na plataforma Tabnet do DATASUS. Os dados revelaram que houve 236 infecções adquiridas no município, concentradas principalmente no período chuvoso do ano; a faixa etária mais acometida foi de 20 – 39 anos; há flutuações anuais do número de casos, mas a ocorrência foi maior em 2017. A partir de 2019, os casos de hospitalizações superaram o número de não hospitalizações, indicando uma tendência de agravamento dos casos de dengue na população. Os sorotipos causadores eram na maioria desconhecidos.&nbsp; A principal ação de controle da doença deve ser a melhoria no sistema de esgotamento sanitário do município para o combate ao mosquito transmissor da dengue e de outras arboviroses, como a chikungunya e zika.</p> Antônia de Kássia Silva de Sousa Pinho, Gabriele Marcelino Gomes, Rodrigo Aparecido Justino, Talita Pinho Marcelino, Luiz Fernando Costa Nascimento, Oscar César Pires, Cecilia Nahomi Kawagoe Suda Copyright (c) 2024 https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3639 Thu, 23 May 2024 00:00:00 -0300 Análise de lugol e de rotulagem de mel de Apis mellifera comercializado em Mato Grosso do Sul, Brasil. https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3677 <p>Adulterações ou falsificações são frequentes em méis comercializados, sendo normalmente realizada a falsificação do rótulo e a adulteração das características químicas através da adição de outros produtos no mel. Portanto este estudo teve o objetivo de verificar, a rotulagem e a qualidade do mel comercializado nos municípios de Camapuã, Campo Grande, Bandeirantes e Jaraguari no estado de Mato Grosso do Sul. A coleta dos méis se deu de forma aleatória em comércios dos municípios supracitados, sendo coletadas 23 amostras. Foram realizadas as análises de Lugol e de umidade através de refratômetro manual. Em relação a parte de rótulo foi elaborado um <em>checklist</em> em que continham todas as informações a respeito de como deve ser a rotulagem dos produtos conforme o preconizado pelas normativas vigentes, devendo constar 21 itens. Dentre os itens analisados, apenas a denominação de produto de origem animal e o conteúdo de líquidos que constaram em todos as amostras, sendo que todos os outros não se apresentação em alguma das amostras analisadas. Os resultados obtidos demonstraram que apenas 4,76 % dos rótulos inspecionadas estão de acordo com as especificações da legislação, enquanto, 95,24 % dos rótulos de méis apresentaram alguma inconformidade. Portanto os rótulos analisados apresentaram inconformidades em relação a legislação vigente, demonstrando que é necessária uma fiscalização cada vez mais intensiva dos produtos, a fim de proteger os consumidores contra produtos adulterados ou de baixa qualidade.</p> Jean Marcos Carvalho Rambo, Lídia Maria Ruv Carelli, Denise De Lima Belisario, Rafael Kill Silveira Copyright (c) 2024 https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3677 Mon, 20 May 2024 00:00:00 -0300 Qualidade microbiológica de plantas medicinais comercializadas no município de Taubaté, São Paulo https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3739 <p>Com a alta demanda pelo consumo de plantas medicinais existe uma preocupação com a transmissão de microrganismos patogênicos devido a condições higiênicas de transporte, armazenamento e comercialização destas. O objetivo deste estudo foi analisar a qualidade microbiológica de plantas medicinais comercializadas no município de Taubaté-SP. Foram selecionadas e adquiridas três amostras dessecadas de cada planta, sendo duas do Mercado Municipal de Taubaté e uma de supermercado, das espécies: camomila (<em>Matricaria recutita </em>L.), melissa (<em>Melissa officinalis </em>L.) e espinheira-santa (<em>Maytenus ilicifolia </em>Mart. ex Reissek). Posteriormente o material foi encaminhado ao laboratório de microbiologia da UNITAU.&nbsp; Para a detecção de coliformes foi utilizado o método do número mais provável (NMP/g) em duplicata para a análise de coliformes totais e termotolerantes. Para a seleção de microrganismos específicos foi utilizado o ágar SS, o ágar MacConkey e o ágar Manitol. Todas as amostras analisadas apresentaram coliformes totais e em 6 (66,66%) foram detectados coliformes termotolerantes. Todas as amostras apresentaram crescimento no meio seletivo Manitol com colônias típicas de <em>Staphylococcus</em> spp. As amostras, no ágar MacConkey, apresentaram crescimento de colônias sugestivas de <em>Escherichia coli</em>, e colônias incolores, sugestivas de <em>Salmonella</em> spp. e<em> Shigella</em> spp. No ágar SS a maioria apresentou colônias sugestivas de <em>E. coli</em> e algumas apresentaram colônias sugestivas de <em>Shigella</em> spp. Conclui-se que a maioria das amostras apresenta alta contaminação por microrganismos potencialmente patogênicos, configurando risco para a saúde.</p> Maria Luiza Rocha Bitencourt, Alexandre Indriunas, Juliana Guimarães dos Santos Copyright (c) 2024 https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3739 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 The application of fish species as bioindicator in mesohabitats of streams inserted into the upper Paraná River system, Brazil https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3776 <p>O objetivo do presente trabalho foi investigar a ocorrência de espécies de peixes com potencial indicador de qualidade ambiental em riachos localizados na bacia do Rio Paranapanema, no sul do Brasil. As amostragens dos parâmetros ambientais e dos peixes ocorreram em 28 trechos de riachos localizados na bacia do rio Paranapanema, sistema do alto rio Paraná. Para verificar o potencial indicador das espécies para cada categoria de qualidade ambiental (má, regular e boa) relacionada às características ambientais mensuradas foi utilizado o método IndVal (Indicator Value). Foram capturados 3.103 indivíduos, distribuídos em cinco ordens e 33 espécies, de modo que <em>Astyanax&nbsp;bockmanni</em> foi a mais abundante. Apenas 13 espécies demostraram serem possíveis indicadoras de pelo menos uma variável ambiental (significância de <em>p </em>&lt; 0,05). <em>Phalloceros harpagos</em> e <em>Geophagus </em><em>brasiliensis</em> associaram-se a altos valores de Salinidade e Sólidos Totais Dissolvidos, possibilitando-nos constatar, de forma cautelosa, que essas espécies podem estar associadas aos ambientes com alta quantidade de partículas orgânicas e inorgânicas em suspensão na água, indicando má qualidade ambiental.</p> Thiago Rodrigues Barbosa, Dyego Leonardo Ferraz Caetano, Luana Gabriela Marques da Silva Copyright (c) 2024 https://periodicos.unitau.br/biociencias/article/view/3776 Mon, 27 May 2024 00:00:00 -0300